Certamente você, cristão verdadeiro, já percebeu o que estão fazendo com a Igreja de Cristo! Embora ela seja vencedora, o mundo – a Igreja do Diabo – faz questão de dar suas últimas cartadas no tempo do fim. Nunca o mundo de Satanás concentrou tanto esforço para desanimar crentes como em nossos dias! Como continuar resistindo nessa guerra espiritual?

Identificando Uma das Causas

A Igreja Católica, Apostólica, Santa e Una, que é a união de todos os salvos em Cristo Jesus (Efésios 5:25) surgiu num contexto de domínio político do Império Romano. Cresceu em seus primeiros séculos perseguida, andando na contra-mão do mundo. Os cristãos naqueles idos lembravam-se das palavras de Jesus:

“Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu. Mas o mundo vos odeia porque não sois do mundo; pelo contrário, eu vos escolhi do mundo.” – João 15:19.

A partir de meados do quarto século o Império Romano adotou o Cristianismo como religião oficial. A partir daí, com maior liberdade, a Igreja cristã dominante se deixou levar por muitas heresias trazidas do paganismo. O comportamento do clero caiu em descrédito, não só por jogadas políticas, mas pela imoralidade sexual. A igreja participava demais do mundo.

Se analisarmos bem a fundo a história da Igreja cristã, e até da judaica antes de Cristo, veremos que quanto mais parte do mundo ela fazia, mais heresias ela assimilava, mais impura ela se tornava aos olhos de Deus. Mas dependendo o lugar, quanto mais perseguida ela era, menos parte do mundo fazia, e menos heresias adotava.

A reforma veio. Com a reforma aprendemos a brincar de reformar. Reforma aqui, reforma ali, e somos mais de 50 mil igrejas-denominações, afirmando fazer parte do Corpo de Cristo. Multiforme graça de Deus? Julgue o caro leitor, tendo em mente que a maioria dessas igrejas surgiram como produto de divergências religiosas. Será que a multiforme graça de Deus tem a ver com divisões ou com o “sermos um” (João 17:21-23), o “sermos unidos na mesma mente (1 Coríntios 1:10)” e o “não haja divisão no corpo” (1 Coríntios 12:25)? 

Teorizo que a liberdade religiosa é o grande combustível para as heresias dentro das igrejas, e para muitos nelas fazerem parte do mundo como nunca antes. Basta comparar o grau de santidade doutrinária e moral entre as igrejas cristãs nos países onde o Cristiamismo é perseguido e onde ele é permitido, e você constatará isso. 

A prostituição de líderes da Igreja com a política, a imoralidade sexual, o comércio sujo, a maçonaria, a música sensual e degradante (louvamos a Deus com melodias românticas e sensuais) gerou uma crise com consequências devastadoras. Sem a bênção de Deus, há divisões. Perde-se a unidade em Cristo. Os críticos nos veem como um um corpo em pedaços, remendados para salvar as aparências, mas que no final das contas não se encaixa. Ciúmes entre pastores e líderes, discórdias doutrinárias, debates intermináveis e desgastantes, cultos com mensagens de auto ajuda para salvar um pouco as aparências e arrebanhar mais gente, pregadores gananciosos, profissionalização do louvor – tudo isso tem causado uma grande indignação entre os verdadeiros cristãos, e uma grande debandada de gente insatisfeita e fraca na fé, ou para seitas, ou para movimentos rebeldes de desigrejados.

Como Ramos Bem Arraigados em Cristo

Diante do que foi exposto, como permanecer forte na fé em Cristo? Meu conselho pastoral é: Perseveremos! (Mateus 24:13) Continue sendo igreja Corpo de Cristo. (1 Coríntios 12:27) Seja perseverante e íntegro como o profeta Jeremias. Ele viveu com tão poucos judeus salvos em Jerusalém, , que Deus lhes desafiou:

“Andai pelas ruas de Jerusalém, vede agora, informai-vos e buscai pelas suas praças. Se puderdes encontrar um homem, um só homem que pratique a justiça e busque a verdade, eu perdoarei a cidade.” – Jeremias 5:1.

Somos sim uma grande minoria. Tudo isso que estamos vendo entre nós foi predito. Heresias surgindo de dentro e de fora da Igreja. (Atos 20:28-31) Gente não suportando mais a sã doutrina. (1 Timóteo 4:1) O que faremos?

Por mais sinceros que sejam nossos lamentos, não podemos tirar Cristo das nossas vidas. Chore, lamente, mas com fé de que Deus Pai, Filho e Espírito Santo habitam em nós. (João 14:23; 1 Coríntios 6:19) Não se conforme com o cenário religioso, mas com a certeza de que a Igreja continua sendo santa, já que todas as vezes que não pecamos agimos como Igreja. 

Lembremo-nos sempre de que vivemos como ramos da videira, numa época de seca, em que a planta perde muitas folhas e ramos, e precisa até ser podada. Mas os verdadeiros ramos ficam na videira, aguardando o renovo que sempre vem, e produzem muitos frutos. Lembrou-se do que Jesus disse:

“Eu sou a videira; vós sois os ramos. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” -João 15:5.

Lembremo-nos também que a Igreja de Cristo é invicta, vitoriosa. As portas do inferno não resistem! (Mateus 16:18) Ela é Cristo aqui na terra, e nele somos mais que vencedores. (Romanos 8:37) Então, fujamos sempre do mundo, e de quaisquer influências divisórias. 

Sim, ficamos tristes de ver tantos ramos com tanta porcaria neles, mas vamos ficar arraigados em Jesus Cristo. Isto é ser Igreja. Já chorei muitas lágrimas pelo que estão fazendo com a Igreja de Cristo. É joio, por isso a separação se aproxima. Em breve Jesus retornará, e nós como sua Igreja amada viveremos para sempre na eterna e gloriosa Igreja Católica, Apostólica, Santa e Una. – Pr. Fernando Galli.