AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E AS FRAÇÕES DE SANGUE

AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E AS FRAÇÕES DE SANGUE

26 de junho de 2020 Pr. Fernando Galli 0

Todos sabem que o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová proíbe seus seguidores de doar ou receber sangue através de transfusão. Várias TJs já faleceram por serem fiéis a essa liderança, que desde 1945 as proíbe de salvar vidas através do sangue. Todavia, muitas pessoas não sabem que as TJs proíbem o sangue transfundido, mas deixam a critério de cada seguidor de aceitar ou não remédios feitos com frações do sangue, derivadas tanto dos componentes primários como secundários. Vejamos isso nas seguintes revistas A SENTINELA:

“Alguns recusam qualquer produto derivado de sangue (mesmo frações destinadas a fornecer imunidade passiva temporária). É assim que entendem a ordem de Deus de ‘abster-se de sangue’. Eles raciocinam que a lei de Deus à nação de Israel exigia que o sangue removido de uma criatura fosse ‘derramado na terra’. (Deuteronômio 12:22-24) Por que isso é relevante? Bem, a preparação de gamaglobulina, fatores de coagulação baseados no sangue, e assim por diante, exige que o sangue seja coletado e processado. Por isso, alguns cristãos rejeitam tais produtos, assim como rejeitam transfusões de sangue total ou de seus quatro componentes primários. Sua posição sincera, baseada em sua consciência, deve ser respeitada. Outros cristãos tomam uma decisão diferente. Também recusam transfusões de sangue total, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas ou plasma. Contudo, talvez permitam que um médico lhes administre um tratamento que contenha uma fração derivada dos componentes primários. Mesmo aqui pode haver diferenças. Um cristão talvez aceite uma injeção de gamaglobulina, mas pode ou não aceitar uma injeção contendo algo extraído de glóbulos brancos ou vermelhos.” – A SENTINELA 15 DE JUNHO DE 2004, página 30.

“Será que o fato de haver diferentes opiniões e decisões, baseadas na consciência, indica que a questão é de pouca importância? Não. O assunto é sério. Contudo, há uma simplicidade básica. A matéria acima mostra que as Testemunhas de Jeová recusam transfusões tanto do sangue total quanto dos componentes primários do sangue. A Bíblia ordena aos cristãos que se ‘abstenham de coisas sacrificadas a ídolos, de sangue e de fornicação’. (Atos 15:29) Fora isso, quando a questão envolve frações de quaisquer componentes primários, cada cristão deve conscienciosamente decidir o que fazer, após cuidadosa meditação com oração.” – A SENTINELA 15 DE JUNHO DE 2000, PÁGINA 31.

Proibir sangue transfundido e afirmar que é questão de consciência o uso de frações sanguíneas derivadas de componentes primários ou secundários do sangue de outras pessoas é uma verdadeira PIADA de humor negro! A Bíblia proíbe sangue animal e humano, ingerido como alimento ou bebida. O animal morto para alimento deveria ter seu sangue derramado no chão (Gênesis 9:3, 4). Isso simbolizava que a pessoa que matou o animal estaria devolvendo a vida a Deus, a qual foi tirada para se alimentar do animal.

No caso do sangue humano, jamais, por exemplo, conforme Tertuliano escreveu, um cristão beberia o sangue de um gladiador morto. Assim, o sangue que se condena a fazer uso é daquilo que se matou para comer ou até para se satisfazer desse sangue como alimento. E no caso das frações? A Bíblia nada diz disso, tanto que quando se come o animal morto, cerca de 30 a 40% do sangue ficou nele.

Lamentavelmente, as crianças acima que morreram “FIEIS A JEOVÁ” estão entre as centenas de pessoas, se não já milhares, que morreram vítimas de quem não merece crédito para decidir a fé dos outros. Veja como eles mudaram de ponto de vista sobre se seria correto ou não um cristão usar medicamentos feitos de frações de sangue. Cada mudança, conforme as TJs, é a luz de Jeová brilhando mais para o Corpo Governante:

1a. LUZ – É CORRERO ACEITAR REMÉDIOS COM FRAÇÕES DE SANGUE – “… A injeção de anticorpos no sangue tendo como veículo o soro de sangue ou o uso de frações de sangue para criar tais anticorpos não é o mesmo que tomar sangue, …fazê-lo não parece estar incluído na expressa vontade de Deus ao proibir o sangue como alimento. Seria, portanto, assunto de decisão individual quanto a aceitar ou não tais tipos de medicação.” – A Sentinela 1.º de fevereiro de 1959, pp. 95 e 96.

Mas o “deus TJ” enviou uma nova luz para suas testemunhas, e agora era errado aceitar remédios feitos com frações de sangue. Veja:

2a. LUZ – É ERRADO ACEITAR REMÉDIOS FEITOS COM FRAÇÕES DE SANGUE – “É errado suster a vida mediante infusões de sangue, plasma, glóbulos vermelhos ou várias frações de sangue? Sim! … Quer seja sangue integral quer fração de sangue … a lei divina se aplica”. A Sentinela de 15 de março de 1962, p. 174.

Mas nem tudo na vida é para sempre. Visto que errar é humano, o “deus-TJ” humildemente reconheceu o erro da luz anterior (a segunda) e voltou a ensinar a primeira. Agora se poderia tomar remédios com frações de sangue. Veja:

3a. LUZ – É CORRETO (DE NOVO!) ACEITAR REMÉDIOS FEITOS COM FRAÇÕES DE SANGUE – “Que dizer, então, do uso dum soro que contenha apenas uma fração minúscula de sangue e que seja empregado para prover uma defesa auxiliar contra uma infecção, não sendo empregada para realizar a função sustentadora da vida normalmente desempenhada pelo sangue? Cremos que isto deve ser decidido pela consciência de cada cristão.” – A Sentinela de 15 de outubro de 1974, p. 640.

É, mas quem jamais ficou mancando em duas opiniões? Sempre tem a primeira vez. O “deus-TJ” novamente enviou dos céus uma nova luz, na verdade, a mesma luz já ensina antes: A segunda! A partir de agora, e de uma vez por todas, o deus-TJ que não muda ensinou que não se podia mais usar remédios feitos com frações de sangue. Veja:

4a. LUZ – É ERRADO (DE NOVO!) ACEITAR REMÉDIOS FEITOS COM FRAÇÕES DE SANGUE – “Certos fatores plasmáticos da coagulação acham-se agora em amplo uso… os que recebem tal tratamento enfrentam outro perigo mortífero… quase 40% dos 113 hemofílicos apresentaram caso de hepatite… todos receberam sangue integral, plasma ou derivados sanguíneos que continham os fatores. Naturalmente, os verdadeiros cristãos não utilizam este tratamento potencialmente perigoso, acatando a ordem da bíblia de ‘abster-se de sangue’”. – Despertai! de 22 de agosto de 1975, p. 29.

Mas infelizmente, o “deus-TJ” aprontou novamente, e decidiu liberar novamente as frações de sangue. Veja:

5a. LUZ – É CORRETO (DE NOVO!) ACEITAR REMÉDIOS FEITOS COM FRAÇÕES DE SANGUE – “Alguns cristãos acham que aceitar uma pequena quantidade de derivado de sangue para tal fim não é… desrespeito pela lei de Deus… adotamos atitude de que esta questão precisa ser resolvida por cada pessoa, por decisão pessoal.” – A Sentinela de 1 de dezembro de 1978, p 3.

Os TJs odeiam que falemos sobre o caso das frações de sangue. Mas precisamos lembrá-los de que um Deus verdadeiro não age assim. E o povo que segue um deus assim não recebe luz que brilha mais e mais até ser dia (Provérbios 4:18), mas está nas trevas e nem sabem onde tropeçam (Provérbios 4:19) E se alguma TJ tentar argumentar que Jeová mudou de ensino quando cancelou a lei da circuncisão, antes dada por Ele a Moisés, basta apenas lembrá-la de que Deus já havia prometido que um dia mudaria a aliança para com seu povo, cancelando muitas leis. (Jeremias 31:31) Ou seja, Deus ensinou que daria e retiraria a circuncisão, portanto isso faz parte do mesmo ensino. Além disso, Ele jamais mudou de ensino para reconhecer que o anterior estava errado.

Esperamos ter alertado TJs e cristãos sobre o perigo de confiar em homens. E caso você saiba que um menor de idade está precisando de sangue e seus pais TJs não permitem tal procedimento, procure as autoridades, denuncie, que um Juiz de Direito ordenará que se administre sangue e se tente salvar a vida de menores de idade, vítimas de sua liderança mundial. – Pr. Fernando Galli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *